Djunta Mó - Associação Cultural Raiz de Cabo Verde

dmacrc.logo

O projeto "Djunta Mó - Associação Cultural Raiz de Cabo Verde" nasceu há 8 anos, da vontade e determinação de um grupo de jovens emigrantes cabo-verdianos. Todos com experiência de associativismo, decidiram colocar em prática os seus saberes, mas desta vez em Portugal.

O arranque foi feito em Julho de 2002, com 15 jovens cabo-verdianos, de idades compreendidas entre os 13 e os 30 anos, da freguesia de Vialonga.

Mais do que recordar a experiência associativista, o então "Grupo Raiz de Cabo Verde" surgiu para muitos destes jovens como uma alternativa saudável para a ocupação dos seus tempos livres, longe do seu meio de risco. Neste grupo cultural encontraram forma de se exprimirem, seja no teatro, na dança ou na música.

O grupo tomou voz e apresentou-se pela primeira vez através do apoio da Igreja de Vialonga, onde animou algumas missas, e a 15 de Agosto de 2002 apresentaram-se pela primeira vez em público, nas festas do Concelho.

Desde essa primeira atuação, os convites sucederam-se. Atualmente o curriculum destes jovens conta com mais de 50 atuações ao vivo, em locais tão diferentes como Rio de Mouro, Zambujal, Benfica, Peniche, Estabelecimento Prisional do Linhó, Universidade Lusófona, Universidade Jean Piaget e muitos outros locais pelo país. Todos os anos promovem uma grande festa para toda a comunidade, a festa de Santa Catarina e Santo André, que chega a juntar centenas de espetadores em Vialonga.

Ao longo destes sete anos, foram sendo estabelecidas diversas parcerias com distintas entidades, entre elas a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Junta de Freguesia de Vialonga, Junta de Freguesia de Alverca, Embaixada de Cabo Verde, Paróquia de Vialonga, ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, Associação dos Africanos de Vila Franca de Xira, Associação Lusocaboverdeana de Sintra, Associação de Moradores de Zambujal, Associação "A Bolha", Jovens Católicos cabo-verdianos em Lisboa (JCCL), Grupo Coral "Pedras Vivas" e o Conselho Nacional de Jovens (CNJ).

Em 2009, o "Grupo Raiz de Cabo Verde" oficializou-se e transformou-se na "Djunta Mó - Associação Cultural Raiz de Cabo Verde". A designação mudou mas os seus objetivos mantêm-se fiéis à sua origem: promover e divulgar a cultura cabo-verdiana através da participação ativa dos jovens assim como proporcionar à comunidade onde se insere um pólo de ocupação dos tempos livres e integração da população mais jovem. E os jovens retribuem. Apesar de muitos serem trabalhadores-estudantes, dispensam gratuitamente as suas folgas para se dedicarem à Associação, onde participam ativamente não só nas diversas atividades, como na sua gestão e o balanço não podia ser melhor: aos 15 jovens iniciais foram-se juntando outros e atualmente são já 52 os membros desta Associação.